loading...

Comissão de deputados aprova proposta para punir mulheres vítimas de um estupradores. PETIÇÃO

Assine contra a punição das vítimas de estupro
Numa artimanha realizada por Eduardo Cunha -- aquele que colocamos atrás das grades por corrupção -- enquanto ele ainda era deputado, eles agora querem forçar vítimas a ter os filhos dos estupradores e prender qualquer mulher que sofrer um aborto, mesmo que espontâneo. É tanta maldade que eles usaram um projeto de lei sobre licença maternidade para culpar as mulheres!
Vergonhosamente, 18 homens votaram contra as mulheres e apenas uma deputada podia representar todas as outras mulheres. Mas ainda falta uma votação e temos chance de influenciá-los -- se muitos se unirem agora, a Avaaz fará um barulho ensurdecedor em Brasília antes do voto. Junte-se ao lado certo, assine para proteger as mulheres:
O aborto não é um tema fácil para nenhum de nós, mas isso não significa que podemos colocar mulheres que foram vítimas no papel de criminosas. E pior: uma mulher que sofreu um aborto espontâneo já sofre com trauma e uma culpa eterna, imagina agora se ela tiver que ir pra cadeia?
Antes de ser preso, Eduardo Cunha deixou um presente de grego: inseriu uma palavra nesse projeto para mudar toda a legislação sobre estupro e aborto no Brasil, colocando em ainda mais risco mulheres que não merecem ir para a cadeia como ele.
Vamos ter mais uma chance de derrubar essa monstruosidade que só poderia ter sido pensada por tipos como Cunha. Clique para assinar a petição e compartilhe com todas as mulheres que você conhece e com os homens que se importam com as vidas delas:
Nosso movimento sempre luta contra as injustiças e dessa vez precisamos lutar contra a criminalização das próximas vítimas de Cunha. Esse projeto não é sobre nossa fé e sobre o que pensamos sobre o aborto mas sobre como os corruptos querem impôr a sua maldade para que esqueçamos o que eles estão aprontando com nosso dinheiro.

Com esperança e determinação,

Laura, Flora, Diego, Nana, Joseph e todo o time da Avaaz

Nenhum comentário:

Postar um comentário