loading...

Biodiversidade segue em queda no planeta, apontam relatórios científicos internacionais

Instituto Mamirauá participou do diagnóstico junto de mais de 550 especialistas do mundo. Documentos foram lançados na manhã de hoje (23) em Medellín, Colômbia
A dupla biodiversidade e qualidade de vida, longe de ser um slogan, é uma realidade que está sob ameaça. Mudanças severas no clima, avanços do agronegócio, desperdício, poluição... os perigos têm muitas faces e continuam a reduzir a variedade de formas de vida no planeta. Essa é parte dos diagnósticos lançados na manhã dessa sexta-feira (23/03) durante a 6ª Reunião Plenária da Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES), na cidade colombiana de Medellín.
O IPBES é uma iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) que conta com 129 países membros. Durante a reunião, foram apresentados quatro documentos sobre o status da biodiversidade para continentes e regiões do planeta: Américas, África e áreas da Europa e Ásia Central e Ásia e Pacífico.
Os relatórios são resultado de quatro anos de cooperação entre cerca de 550 especialistas de mais de uma centena de países do mundo. O Instituto Mamirauá contribuiu com os esforços científicos no âmbito das Américas, se somando a aproximadamente 120 representantes do continente.
De acordo com o pesquisador e diretor-geral do Instituto Mamirauá, Helder Lima de Queiroz, o IPBES vai divulgar periodicamente atualizações sobre o estado da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos no mundo. "A ideia é que a iniciativa gere recomendações para os estados-membros implementarem em suas políticas nacionais", explica.
O representante do Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), afirma que os diagnósticos causam apreensão por mostrarem que, em relação a diagnósticos anteriores, "não houve melhora nítida no estado da biodiversidade, nem paralisação na perda de serviços ecossistêmicos, o que é preocupante, porque toda a humanidade depende deles".
O documento principal do IPBES, contendo cerca de 650 páginas, deverá estar disponível dentro de algumas semanas. Para mais informações, acesse o site da organização.
Texto: João Cunha

Nenhum comentário:

Postar um comentário