loading...

Universitários de Direito conhecem trabalhos desenvolvidos em Seccional de Polícia na capital paraense


A Seccional de Polícia do bairro de São Brás, em Belém, foi visitada ontem por alunos do 5º período do Curso de Direito da universidade particular CESUPA (Centro de Ensino Superior do Pará), para um trabalho acadêmico da disciplina de Direito Penal. Os universitários Mateus Jardim, Gabriela Chaves, Silviane Baía e Vanessa Marques, sob orientação do professor Yúdice Randol, conheceram as dependências da Unidade Policial, onde foram recebidos pelo delegado José Guilherme Marques Tavares, diretor da Seccional. A escolha da Seccional ocorreu pelo fato de ser uma unidade policial com grande fluxo de pessoas e de procedimentos policiais.

Seccional de São BrásA Seccional absorve durante o dia ocorrências registradas nos bairros de São Brás, Nazaré, Fátima e Canudos, porém, durante o período noturno, quando inicia o plantão, a Unidade Policial fica responsável em lavrar os procedimentos de prisões em flagrante ocorridos em grande parte dos bairros de Belém. O delegado conversou com os estudantes e lhes repassou as particularidades do trabalho desenvolvido na Seccional. Falou ainda do dia a dia de uma Seccional de Polícia Civil como a de São Brás, localizada em uma área de intenso movimento de pessoas ao longo do dia, por conta da existência de locais como o Terminal Rodoviário de Belém, bancos, feira, hoteis, instituições públicas e pontos comerciais.
Em seguida, para servir como parte do trabalho a ser apresentado na faculdade, os estudantes entrevistaram o delegado Márcio Cavalcante, plantonista da Seccional. Ele prestou esclarecimentos diversos aos alunos e tirou dúvidas quanto aos procedimentos policiais adotados no âmbito da Polícia Civil.
Para o delegado Cavalcante, o contato com os jovens estudantes de Direito é fundamental para externalizar o contato mais próximo da Polícia Civil com a sociedade, em especial, com o segmento universitário. "Muitos deles (estudantes) amanhã serão delegados, advogados e juízes", ressalta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário