PCCE prende servidor público suspeito de subtrair e guardar documentos oficiais da Prefeitura de Jaguaruana

Uma operação desencadeada pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), nessa quarta-feira (12), resultou na prisão em flagrante de um servidor público suspeito de subtrair e guardar documentos oficiais da Prefeitura Municipal de Jaguaruana na residência dele. Os documentos que estavam em posse do homem são referentes aos controles de gastos de combustíveis dos anos de 2017 a 2020, período em que o homem trabalhou na Prefeitura como gestor de fiscal de obras. Os trabalhos investigativos iniciaram assim que os policiais civis foram informados pela atual gestão da Prefeitura do município, que os documentos referentes aos gastos de combustíveis no período de 2017 a 2020 não estavam mais nas dependências da Prefeitura. De posse das informações sobre quem gerenciava a documentação, os investigadores solicitaram um mandado de busca e apreensão na casa do servidor, identificado como Francisco José Gomes (43), vulgo “Dudé”, que na época era o profissional responsável pelo gerenciamento e arquivamento desse controle e histórico fiscal. Nas primeiras horas de hoje (12), os agentes de segurança pública foram até o imóvel alvo das investigações e foram recebidos por “Dudé”, que não reagiu à ofensiva policial e confessou que estaria sim, com os documentos oficiais da Prefeitura. Em varredura feita pelo imóvel, os policiais civis encontraram cerca 85 pastas contendo arquivos sobre os abastecimentos dos combustíveis, 42 blocos com os controles do abastecimento, além de um aparelho celular. Diante do exposto, todo o material foi conduzido à Delegacia Municipal de Jaguaruana, assim como o funcionário, que prestou depoimento aos investigadores. O homem foi autuado em flagrante pelo crime previsto no artigo 337 do Código Penal, que consiste na subtração de documento confiado à custódia de servidor público. A pena destinada a quem comete esse tipo de infração penal é de reclusão de dois a cinco anos. O homem foi colocado à disposição da Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário